domingo, 30 de janeiro de 2011

Saiba a história do Divino Pai Eterno
Localização de Trindade no mapa da Mesorregião do Centro Goiano.
O Divino Pai Eterno é uma concepção a Deus Pai.
A devoção começou em 1840, quando o casal de lavradores Constantino Xavier Maria e Ana Rosa Xavier encontraram às margens o córrego do Barro Preto, um medalhão com a Representação da Santíssima Trindade coroando a Virgem Maria nos céus.
História: O Medalhão
A devoção ao Divino Pai Eterno teve início por volta de 1840, com o casal de agricultores Constantino Xavier Maria e Ana Rosa de Oliveira, que vieram se estabelecer nas proximidades do Córrego do Barro Preto, distante aproximadamente vinte e dois quilômetros do município de Campininhas das Flores.
Constantino, um homem muito religioso e neste ponto apoiado pela esposa, começou a trabalhar na terra para plantação. Certo dia enquanto lidavam no campo, a enxada tocou em algo rígido que não era pedra. Ao conferir notaram ser um medalhão belíssimo de barro, com tamanho em torno de meio palmo de circunferência onde estava representada a Santíssima Trindade coroando a Virgem Maria. Eles beijaram o medalhão sagrado e levaram-no para casa. Constantino e seus familiares começaram a rezar diante do medalhão encontrado, a notícia se espalhou e aos poucos outros moradores locais passaram a rezar junto à Santíssima Trindade.
Primeira Capela
O número de devotos foi crescendo e a casa de Constantino já não comportava tanta gente. Em 1843 foi criada uma capela de folhas de buriti, mas a multidão que lá ia para pedir ou agradecer os milagres aumentou admiravelmente.
A Imagem
Com necessidade de construir uma nova capela, Constantino encomenda ao artista plástico Veiga Valle, que morava na cidade de Pirenópolis - GO, que retocasse o medalhão, mas este fez uma réplica em madeira. Constantino não tinha dinheiro suficiente para pagar por aquele trabalho, então deu o dinheiro que possuía e seu cavalo como pagamento. Como não tinha outro meio para regressar à Vila do Barro Preto, retornou caminhando num trajeto de mais de 100 km. A imagem feita pelo famoso artista pode ser vista hoje onde é situado o Santuário Velho. A confecção da imagem à partir do medalhão não alterou a fé dos devotos e nem diminuíram os milagres e graças por eles recebidas.
Significado da Imagem
A   representação artística das três pessoas divinas, Pai, Filho e Espírito Santo se caracterizam pela imagem do Pai, mais velho, lembrando Deus Pai; do Filho mais jovem lembrando Jesus e do Espírito Santo, em forma de pomba, como é narrado no Evangelho, coroando Maria Santíssima, mãe de Jesus.
Sua proximidade lembra a unidade: as Três Figuras, a Trindade; Deus Uno Trino.
Santuário do Divino Pai Eterno
Santuário Velho - Trindade - Goiás
O primeiro Santuário do Divino Pai Eterno foi inaugurado em 1912, passando a ser conhecido como Santuário Velho e é a actual Igreja Matriz da cidade de Trindade - GO.
Santuário Novo
Para marcar o centenário da Romaria de Trindade, em 1943 D. Emanuel Gomes de Oliveira, na época arcebispo de Goiás, fez o lançamento da pedra fundamental do atual Santuário Novo. Em 1957, foi apresentado um projeto para a construção do Santuário. Em 1974 começará a realização da novena e festa do Divino Pai Eterno no local.
Somente em 1994 iniciou-se a fase final do prédio e com ajuda dos romeiros e devotos, a obra foi totalmente concluída.
A praça em torno do Santuário foi totalmente revitalizada, e uma grande rampa foi construída para facilitar o acesso de pessoas com necessidades especiais e automóveis até a entrada principal do templo.
 Basílica do Divino Pai Eterno
Devido ao aumento do número de fiéis, e pela importância da figura do Divino Pai Eterno na vida religiosa do estado de Goiás e do Brasil, a Arquidiocese de Goiânia enviou um pedido a Congregação do Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos para que o, até então Santuário do Divino Pai Eterno, fosse elevada à categoria de Basílica Menor.
Em 4 de abril de 2006, o Papa Bento XVI concedeu este título ao Santuário e em 18 de novembro de 2006 deu-se a instalação da Sacrossanta Basílica, sendo a única Basílica no Mundo dedicada a Deus Pai, em outras palavras, ao Divino Pai Eterno.
A Festa de Trindade
A festa é realizada todo ano no primeiro domingo do mês de julho em Trindade, no estado de Goiás, onde recebe mais de 1 milhão de fiéis.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Familia Crista

Deus e o infinito

Quem é Deus?
“Deus é a inteligência suprema, causa primária
de todas as coisas.”
Que se deve entender por infinito?
“O que não tem começo e nem fim: o desconhecido;
tudo o que é desconhecido é infinito.”
Poder-se-ia dizer que Deus é o infinito?
“Definição incompleta. Pobreza da
linguagem humana, insuficiente para definir
o que está acima da linguagem dos homens.”
Deus é infinito em suas perfeições, mas o
infinito é uma abstração. Dizer que Deus é
o infinito é tomar o atributo de uma coisa pela
coisa mesma, é definir uma coisa que não está
conhecida por uma outra que não está
mais do que a primeira.
Allan Kardec

Palavras aos enfermos

Toda enfermidade do corpo é processo educativo para a alma.
Receber, porém, a visitação benéfica entre manifestações de revolta é o mesmo que recusar as vantagens da lição,rasgando o livro que no-la transmite.
A dor física, pacientemente suportada, é golpe de buril divino, realizando o aperfeiçoamento espiritual.
Tenho encontrado companheiros a irradiarem sublime luz do peito, como se guardassem lâmpadas acesas dentro do tórax.
Em maior parte, são irmão que aceitaram, com serenidade, as dores longas que a providência lhes endereçou, a benefício deles mesmos.
Em compensação, tenho sido defrontado por grande número de ex-tuberculosos e ex-leprosos, em lamentável posição de desequilíbrio, afundados muitos deles em charcos de treva, porque a modéstia lhes constituiu tão
somente motivo de insubmissão. O doente desesperado é sempre digno de piedade, porque não existe sofrimento sem finalidade de purificação e elevação.
A enfermidade ligeira é aviso.
A queda violenta das forças é advertência.
A doença prolongada é sempre renovação de caminho para o bem.
A moléstia incurável no corpo é reajustamento da alma eterna.
Todos os padecimentos da carne se convertem, com o tempo, em claridade interior, quando o enfermo sabe manter a paciência, aceitando o trabalho regenerativo por bênção da Infinita Bondade.
Quem sustenta a calma e a fé, nos dias de aflição, encontrará a paz com brevidade e segurança, porque a dor,
em todas as ocasiões, é a serva bendita de Deus, que nos procura, em nome dele a fim de levar a efeito, dentro
de nós, o serviço da perfeição que ainda não sabemos realizar.

Ditada Pelo Espírito de Néio Lúcio ao ( Chico Xavier )